NASA - Sonda Parker quebra dois recordes em um só dia - Nosso Cosmos

NASA – Sonda Parker quebra dois recordes em um só dia

A mais histórica missão da NASA para “tocar o nosso Sol” acaba de conseguir dois importantíssimos feitos: agora possui o recorde de maior proximidade do Sol realizada por um objeto construído pela humanidade — e alem disso o recorde de nave mais veloz já lançada ao espaço.

Enviada em 12 de agosto de 2018, a sonda Parker está começando nos primeiros estágios de sua missão.

Às 14h04 (horário de Brasília) na segunda-feira (29), a nave chegou a incríveis menos de 42,7 milhões de KM da superfície do nosso Sol — um novo marco recorde para um objeto construído pela humanidade. O anterior era à espaçonave alemã Helios 2, que realizou o feito em abril de 1976. De agora em diante, cada milimetro que a sonda avançar em direção do Sol irá ser um novo recorde de distância, com uma proximidade de 6,16 milhões de KM esperada para 2024.

“Tem apenas 78 dias que a Parker Solar Probe foi enviada, e agora nós chegamos o mais perto de nossa estrela do que qualquer outra nave na história da humanidade”, afirmou o gerente de projetos da sonda, Andy Driesman, em um comunicado oficial da NASA. “É um momento de orgulho para a equipe, embora sigamos focados em nosso primeiro encontro solar.”

Cerca de dez horas depois, a espaçonave bateu mais um recorde. Atingindo e depois superando a velocidade de 246.960 KM por hora, a sonda Parker se tornou o objeto construído pela humanidade mais veloz de todos os tempos em relação ao Sol. O recorde anterior também tinha sido atingido pela missão Helios 2. E até 2024, estima-se que a nave alcance velocidades maiores que a 692.000 KM por hora (ou 0,0006% a velocidade da luz).

Para se calcular a velocidade e a distância da Parker Solar Probe, a agência espacial utiliza sua Deep Space Network, ou DSN. A NASA explica:

A DSN manda um sinal para a nave, que então o reenvia de volta para a DSN, possibilitando ao time saber a velocidade e a posição da nave baseando-se no time e nas características do sinal. A velocidade e a posição da Parker Solar Probe tem sido calculadas utilizando medições de DSN realizadas em 24 de outubro, e a equipe utilizou esses dados, junto com forças orbitais já conhecidas, para poder calcular a velocidade e a posição da nave a partir desse ponto.

Em sua distância atual para o Sol, a nave necessita de 150 dias para poder fazer uma volta completa. Ela irá alcançar o primeiro dos 26 eventos de periélio (ponto que fica mais perto do Sol) em 6 de novembro de 2018. Nos posteriores 6 anos, o comprimento orbital da nave irá diminuir gradativamente, possibilitando que ela chegue mais perto do Sol. À medida que se aproxima da superfície do Sol, a sonda ira receber calor e radiação em quantidades extremas, dos quais ela irá se defender com um escudo de proteção movel que sempre irá apontar para a o Sol no centro do nosso Sistema Solar.

Os sensores a bordo da Parker Solar Probe irão realizar métricas, recolhendo novas informações muito intrigantes para cientistas. Logo aprenderemos muito mais sobre o Sol, teremos uma melhor compreensão de como ele afeta a Terra e outros planetas, provavelmente em um futuro muito perto, aperfeiçoando nossa capacidade de prever o tempo no espaço. Saber como , quando e porque o Sol gera suas tempestades solares gigantescas, por exemplo, pode auxiliar a diminuir problemas na Terra.

Fonte.

Facebook Comments

Deixe uma resposta

%d blogueiros gostam disto: